Metodologia Ativa X Metodologia Passiva

Crianças estudando

Você conhece a Metodologia ativa de aprendizagem? Essa é diferente da metodologia passiva. Mas o que isso quer dizer?

Bom, para começarmos vamos falar um pouco sobre a Metodologia Passiva.

Metodologia passiva é a mais utilizada nas escolas do país, é aquele em que o aluno acompanha a matéria lecionada pelo professor por meio de aulas expositivas, com aplicação de avaliações e trabalhos, ou seja, o professor tem um papel de protagonista no processo de aprendizado. Já o discente é passivo a esse processo.3

Certo! E a Ativa, como funciona?

Nessa metodologia o aluno é o principal responsável pelo processo de aprendizado, sendo assim o personagem principal.  O objetivo desse modelo de ensino é incentivar que a comunidade acadêmica desenvolva a capacidade de absorção de conteúdos de maneira autônoma e participativa.

O psiquiatra americano William Glasser elaborou uma pirâmide para explicar como as pessoas geralmente aprendem e qual é a eficiência dos métodos nesse processo.

Pirâmide de Aprendizagem

De acordo com essa teoria, os alunos aprendem cerca de:

10% lendo;

20% escrevendo;

50% observando e escutando;

70% discutindo com outras pessoas;

80% praticando;

95% ensinando.

É possível observar, então, que os métodos mais eficientes estão inseridos na metodologia ativa.

Como surgiu a Metodologia Ativa?

Metodologia é uma palavra que tem registro em língua portuguesa somente em 1858, mas a  ideia de metodologia ativa vem do século XX, mais especificamente de Piaget, um pensador que defendia novos métodos de educação. A palavra ativa vem justamente para contrapor o ensino passivo, aquele modelo tradicional em que o professor ensina e o aluno aprende — ou seja, que carrega consigo a ideia de passividade.

As escolas que adotaram esse método utilizam-se da sala de aula invertida, ou seja, que substitui a maioria das aulas expositivas.

Como a sala de aula invertida apoia as práticas pedagógicas para uma aprendizagem ativa?

Pode-se destacar a “sala de aula invertida” — em inglês, flipped classroom — como um método ativo bastante atual e que, inclusive, pode ser o que dominar em um futuro próximo. Esse método tem como objetivo substituir a maioria das aulas expositivas por conteúdos virtuais.

Nesse modelo, o aluno tem acesso aos conteúdos on-line, para que o tempo em sala seja otimizado. Isso faz com que ele chegue com um conhecimento prévio e apenas tire dúvidas com os professores e interaja com os colegas para fazer projetos, resolver problemas ou analisar estudos de caso. Tal fato incentiva o interesse das turmas nas aulas, fazendo com que a classe se torne mais participativa.

Os discentes se beneficiam em função do melhor planejamento de aula e da utilização de recursos variados, como vídeos, imagens e textos nos mais diversos formatos — afinal, cada um tem um jeito de aprender. Dessa forma, é possível melhorar a concentração e a dedicação dos alunos também nos encontros presenciais, sem que os professores se desgastem.

Quais são os benefícios da metodologia ativa?

São vários os benefícios da utilização das metodologias ativas. Entre os benefícios para os alunos, vale destacar:

  • adquirir mais autonomia;
  • desenvolver confiança;
  • enxergar o aprendizado como algo tranquilo;
  • tornarem-se aptos a resolver problemas;
  • tornarem-se profissionais mais qualificados e valorizados;
  • tornarem-se protagonistas do seu aprendizado.

 

Para a instituição de ensino, os ganhos se mostram principalmente com:

  • mais satisfação dos alunos com o ambiente da sala de aula;
  • melhora da percepção dos alunos em relação à instituição;
  • aumento do reconhecimento no mercado;
  • aumento da atração, captação e retenção de alunos.

Metodologia Ativa

Como o professor atua nesse processo?

O grande equívoco de muitas pessoas ao conhecerem superficialmente esse tipo de metodologia é acharem que o professor perde a sua função, que ao encorajar uma certa independência, ele pode ser substituído pela tecnologia ou perder sua razão de existir.

Ao contrário, ele continua sendo fundamental. A diferença é que muda de posição, deixando de ser o único detentor do conhecimento para se tornar um facilitador. Sua função deve ser atuar como mediador entre o conhecimento e os alunos, estimulando essa interação e ajudando nas dificuldades.

Até porque é muito claro que o professor ocupa essa posição pelo seu vasto domínio e experiência sobre o tema que leciona, e isso não inclui apenas uma grande quantidade de conteúdo, mas o jeito ou a didática necessária para transmiti-lo.

Por isso, sua figura deve continuar existindo em sala de aula apenas com algumas mudanças, pois o aprendizado não deve ficar por conta exclusivamente do aluno — o que seria um caso de autodidatismo, que é bastante diferente da proposta da educação ativa.

Agora que você já sabe um pouco sobre a Metodologia Ativa, veja algumas sugestões para colocá-la em prática.

Invista em recursos e materiais.

Realize capacitação profissional para a nova dinâmica da escola.

Inclua as famílias no processo.

Aposte no relacionamento professor-aluno.

Visite a nossa plataforma de cursos gratuitos, CLIQUE AQUI!

 

Referência.

https://blog.lyceum.com.br/metodologias-ativas-de-aprendizagem/ Acesso em 27/9/2021, às 10h.

Autor

Izabel Barros

Izabel Barros

Quer receber
mais conteúdos
GRATUITAMENTE?

Receba em primeira mão conteúdos relevantes do mundo educacional, basta preencher o formulário abaixo!

Fique tranquilo...

Quer receber
mais conteúdos
GRATUITAMENTE?

Receba em primeira mão conteúdos relevantes do mundo educacional, basta preencher o formulário abaixo!

Fique tranquilo...