13 dicas para adaptação de atividades pedagógicas para autistas

psicóloga trabalhando com um menino adulto com autismo adaptação de atividades para autistas

A importância da adaptação de atividades pedagógicas para autistas

Adaptação está intrinsicamente ligada a inclusão e vai muito além da presença física do aluno, pois quando falamos de atividades pedagógicas para autistas é necessário um cuidado mais especifico.

É de suma importância o apoio da escola, família e da equipe multidisciplinar composta por um psicopedagogo, fonoaudiólogo e psicólogo. Esses profissionais acompanham a criança para que a aprendizagem aconteça de forma efetiva. Além disso, uma equipe multidisciplinar envolvida e atenta com as necessidades da criança, trabalha de forma eficiente para ajudar no seu desenvolvimento e usa estratégias para contribuir com o aprendizado. Dessa forma, a intervenção acontece de forma positiva, possibilitando um ambiente organizado, lúdico e acolhedor.

A adaptação de atividades para autistas é de fundamental para a efetivação da aprendizagem e são fundamentais para trabalhar habilidades que facilitem a aprendizagem escolar.

Primeiramente, antes de fazer a adaptação de atividades para autistas é importante aplicar o protocolo de avaliação. É a partir dessa avaliação, que o professor tem entendimento do que a criança tem conhecimento, quais são suas potencialidades e habilidades. Por exemplo, o nível cognitivo da criança, grau de coordenação motora, se é verbal ou não verbal, os interesses restritos e se precisa de uma comunicação alternativa ou suplementar no ambiente escolar, os conhecimentos prévios e se possuem requisitos básicos para realização de atividades em sala de aula, como; esperar, sentar-se, olhar entre outros.

Diante dessa investigação, o docente pode adaptar as atividades de acordo com as necessidades e aproveitar os interesses, habilidades e potencialidades da criança.

É comum os professores sentirem dificuldade na adaptação de atividades para autistas. Pensando nisso, preparamos esse artigo para ajudar os educadores nesse processo. Esse é o post de hoje. Boa leitura!

13 dicas para adaptação de atividades  para autistas

Essas estratégias são essenciais para ajudar os educadores na adaptação de atividades para autistas, pois alguns professores têm dificuldade para fazer as adaptações necessárias nas atividades. Mesmo que as mudanças sejam simples é importante atender ao nível da criança.

Adaptar não é empobrecer as atividades, significa garantir que a criança dentro das suas potencialidades tenha o mesmo conhecimento que o resto da turma. Procure sempre introduzir o tema que está sendo trabalhado com os alunos para que ele se sinta incluído.

  1. O tipo de papel e letra

Na adaptação de atividades para autistas é importante evitar papeis com estampas, é aconselhável papel com apenas uma cor, de preferência que tenha contraste com a cor da letra. Por exemplo, utilize o papel branco com letra em caixa alta preta.

  1. Delimitar respostas

Delimitar o local da resposta faz muita diferença para a criança, pois essa estratégia ajuda o aluno a conquistar sua autonomia diante da execução das atividades.

Exemplo: nessa atividade o professor embaralha as silabas e pedi para a criança formar a palavra BOLA. Comece com duas palavras e depois pode ir aumentando o nível de dificuldade.

  1. Evite o pontilhado

O uso do pontilhado ainda é muito usado, principalmente, na infância. É importante se atentar que para a criança autista pode causar muita confusão. Um recurso que pode ser substituído pelos pontilhados é usar a figura fundo.

 

Ao invés desse:                                              Utilize esse recurso:

       

 

  1. Interesses e hiperfocos

Utilizar os interesses e investir no hiperfoco da criança é de suma importância para que ela consiga executar as atividades sem dificuldade e que ela tenha interesse em participar. Quais são as suas preferências? O que ela gosta? Lembra da avaliação para conhecer o aluno? Então, utilize os recursos que o aluno tenha interesse.

  1. Atenção ao contexto

Geralmente, alguns professores recorrem a internet para construção das atividades adaptadas, simplesmente copiam e colam, ao menos considera os interesses dos alunos e suas necessidades. Outro fator, é que essas atividades podem ser antigas e para criança é difícil associar com o que ela conhece. Por exemplo, utilizar recursos tecnológicos que não são mais usados é importante utilizar exemplos atuais.

  1. Menos elementos por página

Nas atividades de crianças neurotípicas, geralmente, colocam cinco questões por página, mas para crianças no espectro esse acumulo de informações pode ocasionar muita confusão. Por isso, é importante inserir uma menor quantidade de atividades por página.

Imagem 1                                                    Imagem 2

             

Exemplo da imagem 1:

  • Essa atividade tem muita informação;
  • Confusa para a criança;
  • As imagens no preto e branco é desmotivadora.
  • Mesmo com o objetivo simples, na forma que está estruturada pode não favorecer a execução.

Exemplo da imagem 2:

  • Menos informação na folha;
  • Ajuda no processamento visual;
  • As imagens são mais atrativas;
  • É utilizado o mínimo de figuras e palavras;
  • Só troca a atividade, mas tem o mesmo objetivo (ligar as palavras as figuras).

É importante observar a necessidade individual do aluno, em seguida, fazer a adaptação de atividades para autistas. Se a dificuldade nas atividades é a questão ligada a percepção de discriminação visual, tem muita informação na folha, a letra é muito pequena. Fazendo as trocas necessárias e excluindo informações desnecessárias na folha melhora a comunicação do aluno com a atividade. Dessa forma, a criança faz a mesma atividade da turma, mas de maneira adaptada. Isso que é adaptação, é fazer para que o aluno consiga aprender.

  1. Elementos móveis sensoriais

São atividades utilizadas com letras móveis e velcro. Esse recurso chama muita atenção das crianças, pois tendo um objeto concreto para criança manipular isso ajuda a manter o foco na atividade e atenção.

  1. Utilizar linguagem objetiva

A atenção auditiva dos autistas não é bem processada. Por isso, a criança tem dificuldade em entender a comunicação das outras pessoas. Utilizar linguagem objetiva é essencial como, falar pausadamente e evitar conotações para que ela compreenda melhor. O professor pode utilizar essas estratégias para se comunicar e como proceder nos momentos de atividades.

  1. Privilegiar as habilidades

Cada criança no espectro é diferente e possuem suas particularidades e suas próprias características. Então, é importante desenvolver atividades que privilegiam as habilidades que ela já possui.

  1. Utilizar jogos

O professor pode ensinar o aluno através dos jogos, pois a utilização de jogos pode ser um dos estímulos ideais para enriquecer o momento de fazer as atividades. É importante se atentar que as crianças com TEA possuem hipersensibilidade com cores, barulhos entre outros. Então, é essencial conversar com a equipe multidisciplinar que acompanha a criança para propor recursos que possam ser utilizados na sala de aula.

  1. Evitar atividades muito longas

É importante que o professor evite atividades muito longas que possam entediar o aluno, principalmente, quando a atividade não é do interesse dela. Acima de tudo, respeitar o tempo da criança.

  1. Propor atividades que estimulem o pensamento lógico

Um exemplo de atividades que possa ser feita com a criança, são atividades lúdicas que estimulem o pensamento lógico. A ludicidade é uma forma atrativa, criativa e inovadora para ser utilizada em sala de aula. Além disso, motiva o aluno para participar do momento.

  1. Propor pequenas tarefas, mesmo que sejam diversas

É de grande importância incluir o aluno nas atividades que envolva a participação na sala de aula. Pedir que o aluno faça atividades simples, como apagar o quadro, entregar os livros e interagir com as outras crianças é de suma importância para trabalhar as habilidades. E mostrar sua capacidade, mas é preciso que o educador possibilite momentos para a criança mostrar suas potencialidades. Ela só precisa de oportunidades.

Gostou do nosso conteúdo?

Conheça também a nossa plataforma de cursos online gratuitos, clicando aqui!

Siga nossa página no Instagram @soeducador, postamos conteúdos incríveis lá! 🙂

 

Referências

Atividades pedagógicas para autismo. Instituto Neurosaber, 2020. Disponível em: https://institutoneurosaber.com.br/atividades-pedagogicas-para-autismo/?gclid=CjwKCAjwwo-WBhAMEiwAV4dybYMWXph5giPRrdCiA-6dnuwg_k9MnEFIfc9PJ47yg33mvAi1P8EA0hoCG6cQAvD_BwE. Acesso em: 05 de jul. 2022.

Estratégias para manter a atenção do aluno autista em sala de aula. Instituto NeuroSaber, 2017. Disponível em: https://institutoneurosaber.com.br/estrategias-para-manter-atencao-do-aluno-autista-em-sala-de-aula/. Acesso em: 06 de jul. 2022.

Juntando as Peças do Autismo. 10 dicas para adaptação de atividades para autistas. Youtube, 2019. Disponível em: https://youtu.be/kg0QYsnpu6E. Acesso em: 05 de jul. 2022.

Autor

Kelly Silva

Kelly Silva

Quer receber
mais conteúdos
GRATUITAMENTE?

Receba em primeira mão conteúdos relevantes do mundo educacional, basta preencher o formulário abaixo!

Fique tranquilo...

Quer receber
mais conteúdos
GRATUITAMENTE?

Receba em primeira mão conteúdos relevantes do mundo educacional, basta preencher o formulário abaixo!

Fique tranquilo...