Conheça a diferença entre Aplicador ABA  e Analista do Comportamento

Nos últimos anos o número de indivíduos diagnosticados com TEA (Transtorno do Espectro Autista) e outros transtornos do neurodesenvolvimento cresceu consideravelmente. Sendo assim, a procura por profissionais que trabalham como Aplicador ABA e Analista do Comportamento aumentou.

Muitas pessoas não sabem a diferença  dessas duas profissões. Sabendo disso, confira a explicação a respeito da diferença entre o Aplicador ABA e Analista do Comportamento. Também será abordado sobre as possibilidades de atuar na área e a formação de cada profissão.

O que é a Terapia ABA?

Em inglês ABA significa Applied Behavior Analysis que em português é Análise do Comportamento Aplicada.

Além de tudo é uma ciência proposta por Skinner, decorrente dos princípios do comportamento o qual é trabalhada estratégias de forma contínua para modificar um comportamento inadequado. 

Você sabe o que norteia as estratégias da terapia ABA? Pois bem, são derivadas dos princípios do comportamento, são eles: reforço, punição e extinção.

Antes de tudo, é importante salientar que a ABA não é um método, mas sim uma ciência.

A Análise do Comportamento Aplicada (ABA) ficou conhecida quando o Dr. Ivar Lovaas, em 1987, publicou um estudo com um grupo de 59 crianças autistas. Esse estudo tinha como principal objetivo buscar uma melhor forma dos sujeitos aprenderem.

Lovaas, descobriu que o grupo de 19 crianças que tiveram um atendimento um para um de Terapia ABA durante 40 horas por semana obtiveram bons resultados.

“[…] A sessão de ABA normalmente é individual, em situação de um-para-um, e a maioria das intervenções precoces seguem uma agenda de ensino em período integral – algo entre 30 a 40 horas semanais. O programa é não aversivo – rejeita punições, concentrando-se na premiação do comportamento desejado. O currículo a ser efetivamente seguido depende de cada criança em particular, mas geralmente é amplo; cobrindo as habilidades acadêmicas, de linguagem, sociais, de cuidados pessoais, motoras e de brincar. O intenso envolvimento da família no programa é uma grande contribuição para o seu sucesso” ( LEARN, 2004, p. 5).

O objetivo da Análise do comportamento Aplicada é analisar as relações funcionais que ocorrem no ambiente chamado de Relação ABC. O “A” é o Antecedente (é tudo o que acontece antes do comportamento, o horário em que o comportamento ocorreu, quem estava presente no momento em que ele ocorreu, o que estava acontecendo naquele momento), “B” é o Comportamento (é o comportamento em si) e “C” é a Consequência (é o que ocorre após o comportamento).

Você sabe para que a Relação ABC é aplicada?

  • Aquisição de comportamento;
  • Linguagem;
  • Comunicação;
  • Manejo de comportamentos inadequados.

A Terapia ABA é uma intervenção baseada em evidência científica e utilizada para ajudar crianças com TEA, pois é uma das estratégias que traz mais resultados para a vida do sujeito. Esse é um dos motivos que a procura desses profissionais aumentou consideravelmente. 

O que faz o Aplicador ABA?

Essa profissão não é muito conhecida na sociedade. Por esse motivo, esse artigo tem como objetivo explicar a diferença do Aplicador ABA e Analista do comportamento e salientar sua importância para nossas crianças que necessitam de uma intervenção para ter uma maior qualidade de vida.

Por isso, que o Aplicador ABA é necessário no mercado de trabalho, principalmente, bons profissionais que se dedicaram a estudar essa temática e estão dispostos a oferecer o melhor para os pequenos.

Você já deve ter escutado falar sobre o Aplicador ABA, mas com nomes diferentes, como: Atendente Terapêutico ou Acompanhante Terapêutico (AT).

As intervenções são baseadas em princípios e procedimentos de acordo com a ABA. Então, é imprescindível que o sujeito tenha um acompanhamento de perto e que o aplicador(a) esteja presente ao lado da criança trabalhando na aplicação dos programas de ensino que são feitos por um Analista do Comportamento. 

“… a interação do organismo com o ambiente que é caracterizada por uma mudança considerável num período de tempo… e que resulte numa mudança mensurável de comportamento em pelo menos um aspecto do desenvolvimento”.

Johnston e Pennypacker.

As funções de um Aplicador de ABA são diversas, como: aplicar programas da Análise do Comportamento Aplicada, atuar como acompanhante na instituição de ensino da criança e aplicar as intervenções na casa do paciente. A fim de ajudar a criança a desenvolver diversas habilidades que são importantes para ter uma vida mais independente, por exemplo,  autonomia e na aquisição de comportamentos aceitáveis.

Os ambientes que esse profissional pode acompanhar são inúmeros, como em passeios em shopping, ir ao cinema, às festas, entre outros. Nesse contexto o objetivo é ser o mediador do indivíduo auxiliando nas suas dificuldades e promovendo um ambiente mais estimulador o possível.

Essa profissão no Brasil ainda não é regulamentada, mas em nenhum momento impede a atuação do profissional. Também não é necessário ter um curso superior para atuar como Aplicador ABA, mas não é porque não é exigido que não é importante buscar uma boa qualificação e o interesse e amor pela profissão! Fazer por fazer não faz de você um bom profissional. Como vai oferecer uma intervenção de qualidade se não procura os meios para isso? Se não tem amor? Por isso, é importante se encontrar com a profissão desejada.

O que faz o Analista do Comportamento?

O Analista do Comportamento também é chamado de Terapeuta ABA. Esse profissional atua na aplicação dos conceitos da ABA para estudar, compreender e explicar o comportamento humano sob variados aspectos.

Também pode atuar em vários ambientes, pois a ABA é uma ciência que tem uma preocupação em compreender e explicar o comportamento humano.

Como a profissão de Aplicador ABA não tem uma regulamentação no Brasil, o Analista Comportamental também não tem essa restrição, ou seja, ela pode ser executada. 

No Brasil, ainda não há cursos de graduação ligados diretamente a essa área, mas para quem tem interesse em trabalhar como Analista Comportamental é preciso realizar cursos de pós-graduação, especialização, mestrado e doutorado.

Nesse contexto, é melhor investir em cursos de especialização que são mais voltados para atuação na prática, pois mestrado e doutorado estão mais relacionados a sala de aula e pesquisa.

É importante se atentar a esse aspecto, visto que a experiência é fundamental para que as intervenções sejam aplicadas com êxito e qualidade.

Agora que você já sabe a diferença entre Aplicador ABA e Analista do Comportamento qual profissão quer seguir? Lembrando que são profissões que podem atuar no contexto educacional, estimulando e mediando as crianças que necessitam de ajuda. Deixe seu comentário abaixo.

Gostou do nosso conteúdo?

Conheça também a nossa plataforma de cursos online gratuitos, clicando aqui!

Siga nossa página no Instagram @soeducador, postamos conteúdos incríveis lá!

Referências: 

FREITAS, Michelli. Qual é a diferença entre Aplicador ABA e Analista do Comportamento? IEAC (Instituto de Educação e Análise do Comportamento). Disponível em: https://blog.ieac.net.br/qual-e-a-diferenca-entre-aplicador-aba-e-analista-do-comportamento/#:~:text=O%20Analista%20do%20Comportamento%2C%20tamb%C3%A9m,em%20qualquer%20tipo%20de%20contexto. Acesso em: 21 de out. 2022. 

FREITAS, Michelli. Quem faz ABA? O que faz o analista de comportamento? IEAC (Instituto de Educação e Análise do Comportamento). Disponível em: https://blog.ieac.net.br/quem-faz-aba/. Acesso em: 24 de out. 2022.

LEARN, Kathy. Ajude-nos a aprender. Um Programa de Treinamento em ABA (Análise do Comportamento Aplicada) em ritmo auto estabelecido. Toronto, Ontario – Canada, 2a edição, 2004. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *